O caro que compramos com prazer

Você é apaixonado por tecnologia. Provavelmente, o seu celular é de última geração e de uma marca consolidada no mercado, que cobra caro pelo que oferece. E mesmo que não tivesse dinheiro suficiente no momento da compra, você daria um jeito para adquirir tal produto. Na contramão, você não fez a mínima questão de adquirir aquele casaco, de boa qualidade, mas muito mais barato que o seu celular, porque simplesmente roupa não é algo que o atrai. Por que isso ocorre, apesar de ambos os produtos serem necessários e de bom uso? Porque o primeiro tornou-se um objeto de desejo e o segundo, na sua visão, é algo comum. Você quer o caro e não faz questão nenhuma de ter o “mais barato”. Além do seu gosto pessoal, o que existe nesse processo de percepção é uma valorização diferente que você atribui a cada produto. E isso não tem nada a ver com preço. Afinal, o que pesa mesmo na hora de tomar a decisão de compra é o benefício que você vai ter em adquirir isso ou aquilo, que passam por pontos como qualidade, confiança, diferenciação e até status. Portanto, empreendedor, se o cliente olha para os seus serviços ou produtos com desejo, você praticante tem ele na mão para o resto da vida. Mas para que isso ocorra, você tem muito trabalho a realizar. O primeiro passo é fazer com o que você oferece seja mesmo um ponto fora da curva, extraordinário, excelente em todos os sentidos. O segundo é criar estratégias para que essa informação chegue até o cliente. Ainda que seja trabalhosa, essa virada de chave na percepção de seu produto ou serviço é perfeitamente possível. E, acredite, será muito mais lucrativa do que os gastos que você deve ter nesse processo de transformação.

Luiza Castanho, criadora da Maior Comunidade de Academias High Ticket
EnglishPortugueseSpanish