Ousar para crescer

Quem não arrisca não petisca. Você já ouviu esse ditado várias vezes. No universo corporativo, é uma forma de dizer que a ousadia faz parte dos negócios. De qualquer forma, o risco precisa ser calculado. Uma coisa é você entrar em uma selva não sabendo o que esperar da jornada. Outra, é você se embrenhar pelo mesmo caminho, ciente do que pode ocorrer e o que deve ser feito para contornar os perigos. Portanto, toda vez que você quiser investir em um negócio ou virar a chave do seu, calcule todos os prós e contras e, claro, busque ajuda de pessoas que entendam do assunto ou que fizeram o mesmo caminho que você quer seguir. Provavelmente, você vai captar muito conhecimento antes de tomar a estrada. Mas vai chegar uma hora que é preciso partir de todo jeito. E, nesse momento, depois de analisar várias informações, pode ser que você construa a sua própria receita. Não importa. O importante é você dar o primeiro de muitos passos. A história já mostrou inúmeras vezes que só os ousados chegam no topo. Fracassar até faz parte do negócio e é perdoável. Desde que você não desista jamais de tentar. O que não dá para perdoar, de jeito algum, é continuar parado. Pior: parado e reclamando. Mesmo que você plante, pode ser que a colheita não seja a que você esperava. Agora, se não plantar, não haverá colheita. Nem boa e nem má. Isso significa estagnação. É o que você quer para o seu negócio e para a sua vida?

Luiza Castanho, criadora da Maior Comunidade de Academias High Ticket
EnglishPortugueseSpanish